Informativo Radioativo 26-03-2018

Informativo Radioativo: Edição 26 de março de 2018

Habitacional no Pina aguarda seleção de construtora e outras definições

Tão aguardado pelos moradores do Pina que vivem em situação de risco e em residências precárias, o conjunto habitacional que será construído no terreno do antigo Aeroclube segue ainda com algumas indefinições. Depois de decidir aumentar o número de habitações para cerca de 600, a Prefeitura do Recife vai agora marcar a data do chamamento público para selecionar a empresa responsável pela obra.

As comunidades beneficiarias ainda não foram definidas. E isso é o que tem incomodado as famílias que esperam ser contempladas. Dentre as várias comunidades, algumas famílias no Bode estão sendo acompanhadas pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), que pede respostas.

Segundo a assessoria de imprensa do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto: “Existem várias especulações, que algumas lideranças já estão prometendo habitacional para várias famílias de Brasília Teimosa e do próprio Bode, e a gente vai fazer um pedido de informação para isso ser explicitado. Como é que vai ser esse processo de seleção”.

A assessoria do movimento também exigiu transparencia e que as palafitas sejam prioridade em função da realidade da moradia no território, até pela questão da precariedade.

A Prefeitura do Recife informa que ainda não fez nenhum tipo de cadastro de famílias que possam ser contempladas e que, para o processo de escolha, será levado em conta o tipo de moradia em que cada família vive atualmente, priorizando os que vivem em situação de risco.

O Habitacional Encanta Moça, como está sendo tratado pela Prefeitura, vai integrar um projeto de ocupação da área de 20 hectares onde funcionava o Aeroclube de Pernambuco. Também está sendo estudada a instalação de um parque na área.

Fonte: Portal poraqui news

Mulher sofre ataque transfóbico após evento de boas-vindas LGBT dentro da UFPE

Dália Celeste, 25 anos, mais uma mulher trans vítima de um ataque transfóbico em espaços públicos por ser quem é. Na noite da sexta-feira (23), a estudante do pré-vestibular solidário da UFPE foi espancada de maneira covarde por dois homens quando se preparava para voltar para casa, depois de participar de evento cultural de acolhida e boas-vindas à comunidade LGBT da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Dália foi atingida por uma pedra quando chegava na parada de ônibus, em seguida foi atacada por pelo menos dois homens que ela não teve tempo de ver de onde vieram. “Quebra o rosto dela”, foi a última frase que ouviu antes de conseguir correr para salvar sua vida.

Mais cedo, na mesma noite, Dália já tinha sofrido uma agressão de um homem conhecido na região da Cidade Universitária e do bairro da Várzea por perseguir mulheres trans e andar sempre em grupo, com outros homens, promovendo ataques LGBT-fóbicos. De acordo com outra estudante trans, que preferiu não se identificar para resguardar sua segurança, ele já a intimidou e perseguiu em outras ocasiões. Ele seria morador da Várzea e teria o costume de aparecer em eventos abertos dentro da própria universidade, o que levanta a suspeita de que não estaria sozinho. Segundo relato de Dália, em postagem em sua rede social, o homem se aproximou dela e questionou, em tom agressivo, se ela era uma mulher. Dália estava acompanhada de outras mulheres no momento e confrontou o interlocutor, que saiu do espaço sob vaias das pessoas que viram a cena.

Em seu perfil em uma rede social, Dália publicou imagens do rosto machucado denunciando a violência. “”” Meu nome é Dália, sou uma mulher trans, negra e feminista. Antes de relatar minha história, eu quero mostrar a vocês o rosto que não é meu, quero mostrar o rosto que é da misoginia, o rosto da transfobia. O rosto de milhares de mulheres. Mostrar o rosto que antes de tudo denunciou, o único rosto que me fez ter vergonha de chegar em casa e olhar para minha mãe “””

Desprotegidas no campus

De acordo com Dandara Alves, estudante de Ciências Sociais, atos de violência e LGBT-fóbicos são mais comuns do que se imagina e relata outros casos que aconteceram em dias comuns, como o de uma amiga, também trans, perseguida por três homens depois de deixar a aula no prédio do Centro de Filosofia e Ciências Humanas até a moradia universitária, onde reside.

A parada de ônibus para a qual Dália estava a caminho é também outro local visado para ataques LGBT, com pouca iluminação e segurança. “A Dália é uma travesti negra da periferia. Estamos muito assustadas. A UFPE tem muitas pessoas trans estudantes, precisa de atenção especial”, diz Dandara.

A Diretoria LGBT da Universidade publicou nota em que expressa indignação e revolta com o ataque. “Informamos ainda que a estudante está sendo devidamente assistida e amparada pela nossa equipe. Todas as medidas administrativas já estão sendo tomadas no sentido de cooperar para possível identificação e punição do agressor nas instâncias cabíveis”.

Hoje, segunda-feira (26), às 14h, o Pré-Vestibular Solidário, coletivos, grupos e movimentos que atuam na UFPE vão realizar um ato contra o ataque a Dália e em defensa de uma estratégia de proteção às pessoas LGBT que fazem parte da comunidade universitária. A Diretoria LGBT da UFPE também estará presente. A manifestação acontecerá no Centro de Educação.

Fonte: marco Zero Conteúdo

Inscrições para curso gratuito de produção cultural para jovens vai até hoje

O Instituto Intercidadania, com financiamento do Instituto Cooperforte, recebe inscrições para o curso gratuito de Produção Multimídia e Produção Cultural Comunitária até esta segunda (26).

O objetivo é gerar trabalho e renda, inserindo jovens de 16 a 29 anos, residentes na Região Metropolitana do Recife, no mercado audiovisual e no setor de produção cultural.

Serão oferecidas 25 vagas, para a faixa etária de 16 a 29 anos, com prioridade para jovens de baixa renda, que estão estudando ou estudaram em escola pública. Os alunos receberão passagens, lanche, fardamento e material didático gratuito. As aulas presenciais serão aos sábados, de 08 às 13h, no CRC, e as aulas online acontecerão, nas terças-feiras de 17h às 22h.

As inscrições podem ser realizadas até hoje e são feitas em duas etapas. Na primeira, o participante faz inscrição exclusivamente pela internet, pelo endereço https://colaborativas.net/formacao2018recife.

Na segunda etapa, o participante será entrevistado pela assistente social do projeto.

Fonte: portal por aqui news

Agenda SIS

Exibição do filme “Onde começa um rio”

No SIS, quarta-feira 28 de março às 16h

Supremo proíbe prisão de Lula até novo julgamento de habeas corpus no dia 4 de abril

O Supremo Tribunal Federal adiou, na última quinta-feira (22), o julgamento do habeas corpus preventivo apresentado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A nova sessão está marcada para o dia 4 de abril. Os ministros do Supremo também acataram um pedido liminar proposto pelo advogado de Lula para evitar que ele seja preso até o novo julgamento.

A sessão desta quinta (22) teve início às duas horas da tarde. Ao fazer a defesa do ex-presidente, o advogado José Roberto Batochio disse que “há certa volúpia em encarcerar um ex-presidente da República”.

Após longos votos, só por volta das sete horas da noite o plenário do Supremo decidiu o primeiro ponto de discussão. Por sete votos a quatro, os ministros entenderam que o Supremo deveria tomar conhecimento do habeas corpus e julgar seu mérito.

Votaram a favor os ministros Alexandre de Moraes, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes, Marco Aurélio Melo, Rosa Weber e Celso de Melo. Votaram contra os ministros Edson Fachin, relator da matéria, Luiz Fux, Luiz Barroso e a presidenta do Supremo, Cármen Lúcia.

Segundo Lewandowski, o “habeas corpus é remédio nobilíssimo, que visa proteger o bem mais importante depois da vida, que é a liberdade”. Visão reforçada pelo ministro Marco Aurélio, para quem “a liberdade de ir e vir não pode ser um obstáculo”.

Após aceitarem julgar o pedido de Lula, os ministros da Corte optaram pelo adiamento da discussão, diante da requisição de afastamento apresentada pelo ministro Marco Aurélio, que alegou viagem de avião já marcada para o dia. O julgamento será concluído na sessão do dia 4 de abril.

Antes de encerrar os trabalhos desta quinta (22), os ministros do Supremo deferiram um pedido liminar proposto pelo advogado José Roberto Batochio, solicitando que Lula tenha garantida sua liberdade de ir e vir até o novo julgamento do habeas corpus preventivo. Com isso, o ex-presidente não poderá ser preso mesmo se o Tribunal Regional Federal da 4ª Região julgar improcedente seu último recurso.

O caso do ex-presidente tramita na 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ta região, em Porto Alegre, que julgará, no dia de hoje (segunda 26), o pedido de embargos declaratórios impetrado pela defesa de Lula. A análise dos embargos, tipo de recurso proposto quando há omissão, contradição ou obscuridade na sentença, é a última possibilidade de reversão da pena em segunda instância.

Fonte: Agencia pulsar, brasil de fato

Série o Mecanismo da Netflix é acusada de distorcer fatos da história recente do Brasil

O lançamento da série O Mecanismo, na Netflix, revoltou muitos dos assinantes do serviço, que já entram em contato com a empresa americana exigindo um pedido de desculpas ao Brasil. Nas redes sociais, várias pessoas já anunciam que estão cancelando a assinatura da Netflix por conta da produção.

Dirigida por José Padilha, famoso pelo filme Tropa de Elite, a série deliberadamente tenta prejudicar a esquerda brasileira. Lançada no que seria a antevéspera da possivel prisão do ex-presidente Lula, a produção diz ser “ser baseada em fatos reais”, mas é uma coleção de preconceitos e “fake news”.

Entre as cenas mais grotescas, o doleiro Alberto Youssef frequenta o comitê da campanha do PT, a presidente Dilma Rousseff grava um pronunciamento eleitoral sobre como “estocar vento” e o ex-presidente Lula diz a Michel Temer para não se preocupar com os “açougueiros” da JBS.

Dilma lançou nota em seu site na qual acusa o cineasta de não usar a liberdade artística para recriar um episódio da história nacional e sim mentir, distorcer e falsear.

Entre outras críticas à produção da série de TV, Dilma escreve: “”” o cineasta ainda tem o desplante de usar as célebres palavras do senador Romero Jucá (PMDB-RR) sobre “estancar a sangria”, na época do impeachment fraudulento, num esforço para evitar que as investigações chegassem até aos golpistas. Juca confessava ali o desejo de “um grande acordo nacional”. O estarrecedor é que o cineasta atribui tais declarações ao personagem que encarna o presidente Lula”””

Fonte: agencia247 e site dimla.org.br
Tags: fake news, netflix, dilma, lava-jato

Movimentos marcham em defesa da água e encerram F ama 2018

Mais de sete mil trabalhadores do campo, da cidade, das florestas e das águas, de diversos países, marcharam na última quinta-feira (22), Dia Mundial da Água, pelas avenidas de Brasília. A passeata foi em defesa da água como bem público e direito humano para todos e contra a presença do setor privado, que avança sobre a exploração de fontes, sobre a distribuição, a comercialização e o controle dessas reservas.

Após a caminhada, acompanhada por forte aparato policial e dispersada antes do fim pela forte chuva, os participantes seguiram para o pavilhão do Parque da Cidade. Um ato inter-religioso, com representantes da fé professada por todas essas populações, marcou o encerramento.

Maior fórum alternativo já realizado, o Fórum Alternativo Mundial da Água – Fama 2018 teve início no sábado (17), em contraponto ao 8º Fórum Mundial da Água. Patrocinado por empresas diretamente interessadas em concessões, como a Nestlé e a Coca Cola, entre outras, o fórum oficial, com caráter tecnológico e comercial, terminou na sexta (23), em Brasília.

Em seis dias, o Fama 2018 realizou mais de 200 palestras, debates, seminários, painéis, atividades autogestionadas e assembleias. Organizado por 37 entidades ligadas aos povos e comunidades tradicionais, indígenas, camponeses, mulheres, religiosos, movimentos sindicais e ambientais, Ongs e comitês criados nos estados para o encontro. Participaram ainda mais de 170 representantes internacionais, de países dos cinco continentes.

O Fama 2018 reafirmou as lutas em defesa das águas, que não são e nem podem ser transformadas em mercadoria, apropriadas, exploradas e destruídas para lucratividade dos negócios.

Fonte: Agência Pulsar

Senado começa a debater o Estatuto da Diversidade Sexual e de Gênero

A partir desta segunda-feira, deve começar a tramitar no Senado a proposta que cria o Estatuto da Diversidade Sexual e de Gênero. O texto, proposto pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), recebeu parecer favorável da senadora Marta Suplicy (Movimento Democrático Brasileiro-SP) na Comissão de Direitos Humanos da Casa, na última quarta-feira (21). Com isso, assim que for lido no plenário do Senado, ganhará um número e passará tramitar como projeto de lei.

A minuta do texto, elaborada em 2011, foi entregue ao Senado no ano passado, com o apoio da Aliança Nacional LGBTI [lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e intersexuais] e de 100 mil assinaturas. Os fundamentos são os princípios da dignidade da pessoa humana, da igualdade, da liberdade e da não-discriminação, presentes na Constituição federal e na base do sistema político e jurídico brasileiro.

A proposta da Ordem dos Advogados do Brasil disse: “É imperiosa a imediata aprovação de um Estatuto da Diversidade Sexual, que consagra uma série de prerrogativas e direitos a quem ainda não é reconhecido como sujeito de direito: homossexuais, lésbicas, bissexuais, transgêneros e intersexuais. Também indispensável inserir os vínculos homoafetivos no âmbito do Direito das Famílias, com todas as consequências em outros direitos”.

Ao dar parecer favorável na Comissão de Direitos Humanos, a senadora Marta Suplicy lembrou que o projeto ainda será apreciado pelas comissões competentes do Senado e depois pela Câmara. Em defesa do texto, a senadora adiantou que considera “nítida e robusta a constitucionalidade do texto”, que segundo ela, corrobora o entendimento unânime do Supremo Tribunal Federal. A senadora Suplicy afirmou: “Essa é uma lei que consolida a tolerância e o respeito que grande parte da sociedade já acolheu e pratica, mas que é necessária para defender os direitos de minorias contra a intolerância renitente e os costumes retrógrados de grupos bem organizados”.

Segundo os próprios idealizadores da proposta, aprová-la não será tarefa fácil. Segundo a presidente da Comissão Especial da Diversidade Sexual e Gênero do Conselho Federal da OAB, Maria Berenice Dias, até hoje, no Brasil, nenhum projeto de lei com esta temática sequer foi levado a votação.

A representante da Oordem dos Advogados acrescentou que o legislador não deve se omitir da responsabilidade de assegurar direitos a todos os cidadãos e inserir dentro da tutela jurídica do Estado todos os segmentos da sociedade, principalmente os mais vulneráveis.

Fonte: folha PE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

What is 7 + 13 ?
Please leave these two fields as-is:
IMPORTANT! To be able to proceed, you need to solve the following simple math (so we know that you are a human) :-)