Integração Avenida Caxangá: Mais opção mobilidade/agilidade para o usuário?

Não tem sido fácil circular de ônibus nos últimos dias. Nem a música tocada/cantada pelos artistas de rua, distrai o suficiente para esquecer o estresse do sobe e desce para chegar ao destino.
Desde o último dia 04 de fevereiro, as linhas de ônibus Brasilit, Engenho do Meio, Av. do Forte, Torrões, Barbalho/Detran, Monsenhor Fabrício, Sítio das Palmeiras e Roda de Fogo, deixaram de circular pelo centro.
Algumas linhas como Engenho do Meio e Monsenhor Fabrício, estão integradas ao corredor BRT Leste/Oeste e com as novas linhas BRT com acesso ao SEI – Sistema Estrutural Integrado da RMR. Significa que as pessoas se deslocam de suas comunidades, desembarcam na Av. Caxangá, atravessam o sinal, embarcam na Estação BRT e seguem até o Derby ou ao terminal na Av. Guararapes. Quem precisar descer no percurso, incluindo a Av. Conde da Boa Vista e outros locais do Centro, utiliza a linha 2439-Av. Caxangá (BR-101)/Centro ou a linha 2460-TI Camaragibe (Príncipe), de 5 às 12 horas..
Perceberam o drama?
Quem dependia do Barbalho/Detran para se deslocar ao trabalho, escola, faculdade, é desesperador! O itinerário permaneceu inalterado até a BR-101 Caxangá. Ali, o usuário desembarca, atravessa a faixa para embarcar na estação BRT. Será que pensaram no retorno das pessoas de noite? Tenho certeza que não.
Preferia ficar esperando todos aqueles intermináveis minutos na parada, do que passar o mesmo tempo dentro do ônibus volteando, para depois ser despejada na Caxangá, arriscar-se atravessando a via, pegar um BRT LO-TA-DO, sem a menor comodidade e gastando mais tempo para chegar ao destino. Onde está a agilidade para o usuário?
Detalhe, para utilizar a integração, é obrigatório ter o cartão VEM, custa a partir de R$ 10,00. Propaga-se a vantagem de pagar uma única tarifa e deslocar-se quantas vezes necessário durante duas horas. Será que pensaram na mobilidade de grávidas, mães carregando bebês ou crianças pequenas, cadeirantes, idosos e todas as pessoas com necessidades especiais? Tenho certeza que não.
Não podemos mais uma vez pagar a conta da incompetência desse (des)governo que não foi capaz de concluir as obras de construção dos dois terminais de integração da Av. Caxangá, que deveriam está em circulação desde a Copa das Confederações, em 2013.
#QUERO MEU ÔNIBUS DE VOLTA AO CENTRO#
Leônia Malta

Share